sexta-feira, 25 de setembro de 2009

Família que cresce




Há muito tempo que não venho aqui, mas tenho um bom motivo, minha família tem crescido e precisado muito de minha atenção e amor...

Agora com esse mosaico acima, da pra ver quanto trabalho eu tenho tido nesses dias ^^.


Miau

sexta-feira, 1 de maio de 2009

Demonstrações de amor!!!

Sempre achei esse vídeo uma coisa linda demais, feito por uma pessoa que definitivamente ama seus amigos!!

Então resolvi compartilhá-lo com vocês.

Espero que gostem tanto quanto eu...

Miau

video

sexta-feira, 10 de abril de 2009

Oração de todos os animais.


Olá. Hoje venho aqui para deixar uma oração em nome de todos os animais do mundo! Conheci essa oração através de uma amiga e ela é tão linda que resolvi colocar aqui!!!

Então... lá vai:





ORAÇÃO DE TODOS OS ANIMAIS.

Fui criado pelo mesmo Deus que criou você.

Sinto fome, sede, medo, dor, assim como você.

Por favor, não me use para se divertir,não me exponha ao ridículo,

não me humilhe,não me maltrate e nem abuse de mim.

Só o que quero é sua amizade e carinho.

Não peço que goste de mim, mas somente que me respeite.

Olhe nos meus olhos e depois olhe nos seus e verá como somos parecidos.

No meu olhar você pode ver doçura, alegria,tristeza, desespero, amor ou sofrimento,e isso eu também posso ver no seu olhar!

Por vontade do nosso criador,

não posso falar e nem me defender da brutalidade e crueldade dos seus semelhantes,

mas se eu pudesse falar agora,

diria a todos que eu também mereço viver e sou digno de respeito, assim como você....


(autor desconhecido)


Miau

domingo, 22 de março de 2009

DECLARAÇÃO DOS DIREITO DOS ANIMAIS

videoVenho aqui hoje, só para dizer que toda forma de vida merece ser sempre respeitada!!!

Respeite nossos direitos para vivermos em paz e harmonia...

Miau

sábado, 14 de março de 2009

A maldade de uns e outros


Esse é o X, ainda não sabemos como vamos chamá-lo, mas ele é o personagem da minha história de hoje.
Essa semana o Marcio foi passear num outro bairro e ao passar por uma avenida viu um cachorro cocker caramelo - esse aí da foto - tentando subir numa calçada desesperado. Ele se arrastava e ninguém na rua parecia se importar com a cena. Então o Marcio resolveu pegar ele - com dificuldade - e o colocou dentro do carro e foi buscar ajuda. Sem dinheiro, passou numa clínica veterinária e pediu ajuda que foi negada pela veterinária Lara, que estava no local. Isso pra gente ver que tem muito veterinário que está fazendo a coisa errada, está no ramo errado e a única coisa que importa para eles é o dinheiro das consultas e não a ajuda. Marcio procurou um amigo, dono de Pet shop e que está há muitos anos no mercado. Ele entrou em contato com uma veterinária amiga dele e ela informou o que deveria ser feito, então o tio Renato e o Marcio se puseram a cuidar do X. Ele foi atropelado, pode ter fugido de casa e como não está acostumado com a crueldade das ruas foi atropelado por um ANIMAL que fugiu. X tenta se recuperar, ele está tosadinho, recebendo medicamentos e alimentação, e na segunda feira vai a uma faculdade fazer um raio X pra ver o que realmente tem. A minha mãe tem sido sua terapeuta e conversa com ele e faz carinho pra ele não se sentir muito só, já que está longe de casa, e dodói. Hoje ele tentou dar os primeiros passos, mas ele não aguenta ficar de pé. Eu não me arrisco a ficar perto dele porque ele já deixou claro que não gosta de gatos... fazer o quê?
Mas o que me deixou irritado nessa história foi a sucessão de má vontade e maldade de certos humanos. O primeiro o atropelou e negou socorro, decerto é daqueles que pensam que bicho é lixo. Depois a veterinária que não se deu ao trabalho de perguntar se precisava de ajuda, se havia alguma possibilidade de pagamento diferente de à vista!!! Por essas pessoas o X teria morrido la na rua, sozinho.
Aqui em Maringá, o que conta é o status, é você ter dinheiro e bom nome, se não for assim você não serve pra nada. Quando a mamãe nos leva ao veterinário todo mundo elogia e nos trata com esmero, quando leva um gato comum, com pelo curtinho, rajadinho etc, eles olham com desdém, como se dissesse "vai gastar dinheiro com isso?". Uma vez quando o Jarbas era vivo, a mamãe já tinha notado isso; ele comia o que tinha de melhor, tinha gravatinhas caras, tudo o que havia de novidade, não importava o preço, ela levava para ele, um dia ela foi levar ele para passear e quando viram que ele era "vira-lata" ficaram chocados e até disseram "nossa a gente pensava que fosse um gato de raça pelas coisas que você leva para ele..."
A maldade se espalha até nos setores onde ela não devia estar - ao menos em teoria. Recolhemos dois cachorros da rua tempos atrás e ligamos para a prefeitura. Os vacinamos, cuidamos e íamos entregá-los sãos e salvos, mas a prefeitura mandou vir a carrocinha assassina. Quando as pessoas chegaram disseram que tinham vindo buscar os cães para sacrificá-los!!! Óbvio que eles não saíram daqui...
Onde está o respeito pela vida nesse mundo? Será que aqui em casa estão todos loucos? Será que eu sou um sonhador porque tenho uma família que me ama e que faz tudo por mim, e tudo o que pode para ajudar os outros? Ou será que na verdade o mundo é que ficou realmente cruel? As pessoas estão dando cada vez menos valor às coisas, à vida, em qualquer forma, chego a pensar que o mundo enlouqueceu em seu universo egoísta...
A história do X é muito triste, mas ao menos ele teve alguém que se importou e que o acolheu e que tem cuidado dele, quantos outros sofrem até a morte nas estradas, nas ruas, ou dentro de suas próprias casas por animais que se julgam seus donos?
Quando isso vai acabar? Quando as pessoas acordarão e descobrirão que estão erradas?
Espero sinceramente que não demore muito.
Enquanto isso, pessoas boas, que ainda acreditam em algo bom trabalham arduamente para que isso não continue acontecendo. Obrigado a essas pessoas que ainda mantém seu coração aberto mesmo quando o mundo todo as julga estúpidas. E parabéns por resistirem bravamente.
Miau

domingo, 8 de março de 2009

A mãe que Deus me deu.



Como hoje é o dia das mulheres, eu resolvi mudar um pouco de assunto e falar delas. Mas óbvio que será uma mulher que gosta de gatos, senão meu blog ia perder o sentido hahahahahaa.

Vou falar da minha mãe, a senhorita Nana.
Desde criança ela queria ter gatos, porque sempre nos achou maravilhosos, mas minha avó, que na época não gostava de bichos, não concordava. Quando minha mãe tinha uns 10 anos ela pegou uma gatinha de uma ninhada de uma amiga sua, mas quando minha chegou do trabalho e viu a pequena Minnie, a levou de volta para a amiga de minha mãe. Depois, só aos 16 anos minha mãe conseguiu achar uma outra gata, que se chamaria Tama, porém, como minha mãe é alérgica, e a Tama estava cheia de pulgas, meu avô, fez minha mãe devolver a gata também.
Para minha mãe isso era o mesmo que enfiar uma faca em seu coração felino.
Aos 17 anos, na escola onde ela estudava apareceu uma gata grávida, e após ouvir as faxineiras dizendo que iam matar os gatinhos e a mãe deles, minha mãe correu para contar para sua professora de biologia que era uma defensora incondicional dos animais. Logo as duas arrumaram um lar para a nova família e minha mãe arquitetou um plano para adotar um dos filhotes. E assim foi. Após o desmame no Jarbas, minha mãe o levou para casa escondido, e o manteve em seu quarto até que um dia minha avó o descobriu. Quis a todo custo colocar o novo membro da família para fora, mas como estava frio, minha mãe chorava feito louca, minha deixou ele ficar até o tempo melhorar. O que a minha não esperava era que o Jarbas se apaixonaria por ela e ela por ele, logo ele ficou dentro de casa até seu último dia. Depois dele, veio a esposa Tama - outra - que a mãe resgatou da rua, e depois os 5 filhotes. Então chegou o dia da mãe vir para Maringá, morar em uma república e ter que deixar seus filhos com a vovó, que nesse tempo já tinha os 6 gatos - Jarbas tinha sido assassinado para tristeza de minha mãe - e duas cachorras. Após alguns meses, minha mãe foi para casa visitar a família, mas mal pode respirar, sua alergia tinha voltado. Mesmo assim ela não desgrudava dos filhos. Durante a greve da Universidade, minha mãe ficou na casa da vovó, que já tinha adotado mais dois gatos. Maria Eugênia, uma das novas habitantes da casa, teve uma filha, Benedita, mas a abandonou no dia do nascimento. Minha mãe e minha , alternavam-se para cuidar dela, amamentá-la, aquecê-la enfim, tudo para que hoje ela estivesse linda e forte como está.
Um belo dia, já cansada de só poder cuidar dos gatos da rua, que eram muitos, e que ela amava, mas que não ficavam perto dela pra ouvir estórias etc, ela resolveu procurar pets onde havia doações. E foi lá que ela me achou, dentro de uma gaiola minúscula. Me levou para casa - uma república onde animais eram proibidos - dentro de uma sacola, me trancou no quarto e saiu. Quando voltou trazia comida e areia. ela não tinha móveis, então fez um ninho para mim, que era ainda muito pequeno, em seus colchões que ficavam no chão. Havia o gato Joaquim, que era da rua, mas em dias de chuva ia para a casa da minha mãe, entrava pela janela e ficava com a gente. No começo ele se mostrou ciumento, mas depois me aceitou como um filho. Eu era o rei do quarto, minha mãe me carregava para cima e para baixo, me levava pras aulas dela, para a mercearia, para tomar sol, para ver a rua. Sempre no colo dela, e assim cresci. Minha mãe se mudou e eu virei o rei da Kit net. Depois o rei do apartamento onde ela foi morar com o tio Fer e um amigo. Então a mãe teve que trabalhar e eu entrei em depressão; ela me levava ao veterinário, ao parque, mas não adiantava, eu queria que ela estivesse perto, como sempre tinha sido. Ela então resolveu resgatar a Pandora dos maus tratos de uns seres vizinhos. E foi assim - e com remédios - que me recuperei. Já não era possível levar a gente pra passear, tinha que ser um de cada vez, mas a gente já era grande e gordo. Toda vez a mãe nos examinava, cuidava, comprava boas comidas, levava ao veterinário, passeava e nos dava brinquedos; não negava nossas vontades, brincava com a gente e nos abraçava e dançava com a gente como se fôssemos de pelúcia. Pandora não gosta muito de colo, mas eu...
Quando nos mudamos a mamãe achou uma veterinária mais legal, e ela virou nossa amiga. A mamãe tá sempre procurando coisas que melhorem nossa vida, nossos dias, nos mantenha saudáveis e felizes.
Mesmo depois que meus filhos nasceram, minha mãe tinha que cuidar deles comigo, pois como vocês sabem a Pandora não gostou muito da idéia. Quando a Pandora adoeceu, a mãe faltava na escola pra cuidar dela, como outras vezes fez para cuidar de mim.
Passados mais de seis anos, estamos em casa, Pandora, Jorge e eu - e lá fora moram o Isaac e o Yogi - e a mamãe não mudou nada. Tudo é pela gente, um brinquedo novo, uma comida boa, água fresca, leite, e óbvio continua não negando nada pra gente. Eu e o Jorge, por exemplo, gostamos de tomar iogurte na colher com a mamãe, ela deixa, ás vezes ela fica brava e põe iogurte no nossa prato, mas a gente olha com cara de " ei, tá pensando que somos animais?" e ela fala " meu Deus, como vocês são folgatos" e nos dá. Acaba ficando sem nada, mas nos dá. E de noite, não se importa se eu tomo o travesseiro dela, ou se ponho as patas em sua cara, ou se o Jorge deita nas suas pernas, mesmo que esteja um calor daqueles. Quando chega diz "oi família, a mãe ama vocês" e nos beija e abraça. Faz carinho, brinca de bola, de correr e de esconder com a gente. Não dorme se acha que estamos meio estranhos, acorda quando miamos diferente, acorda se vomitamos e vem cuidar da gente, mesmo tendo que levantar cedo no dia seguinte. Nada importa mais para ela do que a gente...
Então, por nos fazer felizes, por cuidar de nossas vidas, por cuidar dos bichinhos que aparecem aqui, e mesmo por nos dar banho contra a nossa vontade - mas em segredo, que ajuda muito a aliviar esse calor horrendo - eu dedico esse dia a ela. E depois a outras mulheres que como ela, amam seus gatos - e bichinhos em geral - e fazem de tudo para que eles vivam bem e felizes. Feliz dia das mulheres mamãe, vovó, Cecy Passos, tia Débora, tia Mery, tia Silvia, tia Angélica, tia Tanda, Raquel, Luisa Mell...
Para todas vocês, o meu Super Miau!!!

domingo, 22 de fevereiro de 2009

Médicos da família!!!



Olha que legal!!!! Você certamente achava que eu era um gato doido né?? Aqui está a prova de que não estou sozinho na luta contra a opressão que os bichinhos sofrem!!
Não conheço meu colega de profissão aí ao lado, mas tenho certeza que como eu ele tenta fazer amigos e indicar pras pessoas que pequenas coisas são importantes pra gente.
Eu já falei de adoção, de cuidados médicos, da não-violência enfim de várias coisas, mas onde quero chegar?
Preciso dizer que a maioria dos humanos que tem amigos bichos não acredita que nós temos super capacidades, e não tô falando de escrever não. Tô falando de casos incríveis de cachorros que aprendem a ligar pra polícia em caso de perigo em casa, dos famosos cães guias e de um caso particular que ocorreu na minha família.
Há alguns anos, quando minha mãe ainda morava com minha avó, elas tinham como companhia o Jarbas, um gato viralata que a mãe adotou.
Minha mãe morria de amores por ele, porém ele escolheu a minha avó pra seguir, afinal minha vó fazia crochê e deixava ele brincar com as linhas hahhahahaha.
Mamãe nunca trancou a porta do quarto deixando a gente ir e vir sempre que tivéssemos vontade - ela sabe que a gente não dispensa uma noite de sono ao lado dela. E naquela época ela já era assim. As portas estavam sempre abertas pro Jarbas. Ninguém sabe o que aconteceu naquela noite que fez com que minha mãe fechasse a porta, eu acho que foi um milagre.
Quando minha mãe dorme é preciso muita força de vontade para acordá-la, ou como é comum com todas as mães, que um de nós faça sons estranhos, chore ou enfim, aja diferente do que ela está acostumada.
Então naquela noite que eu ia citando, ela fechou a porta do quarto e foi dormir. Lá pelas 3 horas da manhã acordou com o Jarbas unhando a porta desesperadamente, miando feito um louco. Ela levantou assustada e quando abriu a porta Jarbas correu para o quarto da vovó que estava tendo um início de infarto. Minha mãe ajudou a vovó e chamou a ambulância, mas ela sempre diz que quem salvou a vó foi o Jarbas. Sem o aviso dele sabe-se lá o que poderia ter acontecido...
Então, preste atenção no seu parceiro, cuide dele, porque ele cuida de você mesmo que você ainda não tenha se dado conta disso.
Quando a mamãe tá triste, até o Jorge, meu filho notívago, aparece para deitar ao lado dela dizendo "eu te amo" e ela entende porque também nos ama, e como somos meio doidos ela fica feliz e acaba rindo com a gente.
Então mais uma mensagem passada!! Preste bem atenção, você está sendo cuidado pelo amigo mais fiel!!! Cuide dele também.
Miau

Adotar é legal!!!

Olá minha gente querida...cá estou eu de novo, lutando contra a preguiça para poder dar as famosas dicas pra vocês.
O assunto agora é adoção. Eu já adotei três gatinhos ao longo de minha vida; tá certo que um foi por pouquíssimo tempo, mas cuidei dele como se fosse meu próprio filho.
Os bichinhos que não tem um lar como eu, passam por muitas necessidades, como você poderá ver se der uma olhada num dos links do blog sobre o Campo de Santana. Alguns passam coisas realmente horríveis, são atropelados, ficam doentes, podendo morrer, passam fome e frio. Pessoas de bom coração fazem o que podem para cuidar desses pequenos seres que não foram ainda acolhidos por ninguém.
Não falo em nome de ninguém, só em meu próprio, que fui também resgatado de uma gaiola de um pet.
Acontece que as pessoas às vezes tem vontade de ter um bichinho e o que fazem? Vão comprar um bem caro pra exibir pros amigos. Não é que isso seja errado, mas porque não olham para os viralatas que também amam, e precisam de carinho???
Outro dia vi uma reportagem muito triste sobre gatinhos deficientes e que não tinham mais como ficar no lar provisório, porém não aparecia ninguém para adotá-los. Fiquei muito triste com isso. Eles podiam viver de boa, só tinham um pouco mais de necessidades que os outros, mas esteticamente não agradavam as pessoas, por isso iam ficando lá.
Gatos e cachorros adultos também são esquecidos e acabam indo pras ruas. O adulto, tem sim mais dificuldade de adaptação, isso é normal, mas ama tanto quanto um bebê e aos poucos, com o carinho que merece receber, se integra à família e aprende o que você precisa ensinar.
Será mesmo que tantas pessoas ainda acreditam que somos bibelôs? Que alguns de nós dotados de mais beleza servem só pra enfeitar a casa e quando os amigos chegam ouvir "nossa que gato/cachorro lindo você tem!" Poxa a gente tem muito mais a oferecer que um lindo rostinho!
Por isso eu gostaria de pedir pra quem quer ter um novo amigo que procure os lugares onde estes estão para adoção. Acompanhem as campanhas. Se sabe de pessoas que fazem esse trabalho de cuidar dos bichinhos abandonados tente ajudá-los de qualquer forma: eles precisam de voluntários, doações de comida, remédios e de quem possa auxiliar nos processos de adoção.
Se puder (e aqui eu já sei que estou indo mais longe) adote dois de uma vez, assim seu companheiro nunca se sentirá muito só, terá sempre companhia e você alegria em dobro!!!
Vamos lá, admita, adotar é legal...
Miau.

terça-feira, 17 de fevereiro de 2009

Apresentação: tarda mas não falha....

Pra começar eu sei que a foto não tá lá essas coisas, mas pra que a gente possa se conhecer um pouco melhor ela serve.
La no canto está minha esposa, Pandora. No meio, nosso filho, Jorge e aqui nesse canto, de cabeça baixa, sou eu, Boris.
Eu só me lembro que neste dia aí da foto, eu escutei uns barulhos estranhos do outro lado da porta. Fui verificar e a família resolveu vir junto. A Pandora porque acha que é a caçadora da família e que eu estou velho e gordo demais pra isso, o Jorge porque vive colado na gente e eu... bem...eu, porque era meu papel de chefe de família.
Se fosse assim, por mim, eu teria ficado deitado onde estava, mas como a Pandora é daquelas que adora criticar depois, eu fui lá ver.
Que bobagem... era o Yogi, lembra dele?? Agora ele tá grandão, fortão e mais ruivo que nunca, mas a Pandora não gosta dele, e o Jorge menos ainda, porque ele quer ser pra sempre o bebê da família.
Então, minha mãe espertinha, capturou a gente juntinho aí, e eu resolvi nos apresentar corretamente, afinal até agora você sabia meu nome e sabia que diferente de outros gatos eu tenho um orkut e escrevo um blog. Na verdade há muitas coisas que eu faço quando minha mãe não gruda no PC, e obviamente fora dessa cadeira eu faço ainda mais coisas. Desde pequeno eu estudo com minha mãe que até me levava pra universidade com ela.
Até hoje quando ela vai ler eu deito ao seu lado e insisto em virar as páginas pra ela, deixando-a brava porque ela alega que não terminou de ler... o que eu posso fazer se leio mais rápido???
Enfim, de nós três eu sou o mais ativo - apesar de gordinho - brinco e exijo que brinquem comigo, adoro um colo e tomo muito leite. A Pandora vive na janela e acha que o território é dela. O Jorge é notívago. Passa o dia escondido em algum lugar e quando a noite chega ele aparece belo e formoso pra tomar meu colo, pedir minhas lambidas de amor e pedir um lugar na janela pra mãe dele.
Eu, enquanto tudo acontece, sento com minha mãe, ás vezes imobilizo ela, e tento sugar o máximo de coisas possíveis pra depois vir aqui, enquanto ela lê um livro do Saramago, portanto sem vontade de usar a internet, e escrevo o que me dá vontade. Tento ser rápido porque se ela tiver um ataque de sociabilidade, ela amorosamente desliga o que eu tô fazendo, me poe no colo dela como se eu fosse uma manta e entra no msn pra ficar de tititi com as pessoas...
Não sou ciumento não...só tô pedindo justiça...
Agora que você já me conhece e também à minha família, espero que passe a frequentar meu blog, possa aprender e ensinar alguma coisa e principalmente, possa se divertir com a gente!!!
Miau
E se pintar uma dúvida...vai la no meu orkut dar uma fuçadinha: http://www.orkut.com.br/Main#Home.aspx?hl=pt-BR&tab=w0

Passado glorioso!!!



Fala sério... todo mundo tem inveja do meu passado magnífico... hahahahaha
Minha antepassada Bastet nos deixou um legado muito bacana, e contrariando as pessoas que acham que nós damos azar, lá, na terra dessa Deusa, a gente dava muita, muita sorte...
Lá no Egito, a Bastet tem alguns templos, e nos seu tempo foi muito respeitada, até porque era símbolo de fertilidade e protetora das mulheres grávidas. Além disso cuidava dos eclipses solares.
Nos templos dela eram criados os gatinhos que eram tratados como reis, e depois, quando faleciam eram mumificados e enterrados em lugares específicos para eles.
Até hoje, quem ama os felinos, sabe que tratar bem a gente, é respeitar essa autoridade aí ao lado, mas mais do que isso é provar que é um ser humano no real sentido da palavra, que ama outra vida e zela por ela...
Agora, que você ficou com inveja do nosso sangue azul...ah isso ficou né???
Não se preocupe, eu faço amigos o tempo todo e não ligo pra minha vida no palácio, até porque não faço a menor questão de ser mumificado... nem de chegar a esta derradeira hora tão cedo...
Miau

Mamãe... cuidado!!!



Olha que coisa mais linda!!! Isso me dá uma saudade dos meus tempos de bebê!!!
O lance aqui é um relato de mães não muito legais.
Todo mundo carrega a crença que as mães bichos são de todo amorosas e dedicadas!!! Cuidado meu chapa, você pode estar redondamente enganado.
Algumas mamães rejeitam seus filhotes e para isso não é preciso que ele seja defeituoso ou que tenha nascido morto. A nova mamãe pode ter tido um trauma qualquer, físico ou psicológico, deixando assim de dar o amor e cuidados necessários aos bebês recém-chegados.
Quando a Pandora engravidou todo mundo morreu de felicidade, pois nós tentamos sem sucesso, por quase dois anos ter filhos.
Porém, só depois que nossos 5 filhotes nasceram é que fomos nos dar conta do problema: Pandora não gostava de crianças!!!
A toda hora ela saía da casinha pra deitar na janela e não se comovia com os incessantes miados dos filhotes gritando por comida.
Como pai, eu fazia o que estava ao meu alcance, deitava ao lado dos bebês e os aquecia, mas era preciso a intervenção de minha mãe para por a Pandora ali com os filhotes e segurá-la para que todos eles pudessem mamar...e vocês tinham que ver a cara de tédio que ela fazia.
Como ela foi resgatada de uma situação psico-social muito horrível - os ex-pais dela, batiam nela - a veterinária julgou que ela reagia assim com os filhotes por causa do trauma.
Em compensação, Maria Eugênia, a gata da minha avó, não tinha sofrido nenhum mal, era feliz e vivia a vida que pediu a Deus... mesmo assim no dia em que Benedita nasceu ela fugiu. Foi embora e deixou a Benê lá abandonada. Filha de mãe solteira, restava a ela gritar alto para a vovó e minha mãe cuidarem dela. E hoje ela tá lá, lindona e com a sua filhinha Valentina que não desgruda da mãe...
Fiquem atentos aos cuidados da nova mãe, ela pode intensionalmente, deixar os filhos morrer de fome. Colocá-la ao lado dos filhotes e tentar ficar um tempo com eles ali é legal pra ela se acostumar com o cheirinho deles e com as responsabilidades.
Mães de primeira viagem tendem a rejeitar os filhotes com mais frequência, mas as mães mais velhas também o fazem, então, ligue o alarme e curta os filhotes auxiliando a mamãe na nova viagem...
Miau

Ter em casa é bom.



Bom...meu papel aqui é avisar as pessoas como as coisas podem ser quando decidem adotar um gatinho - já disse, qualquer animalzinho, mas pô, eu entendo mais de gato...
Dar remédios para um gato é uma arte e preciso parabenizar as pessoas que fazem isso de maneira rápida e relativamente agradável.
Minha mãe por exemplo como já teve mais gatos do que consegue lembrar, é uma expert no assunto. Ela nos pega - sozinha - e nos dá os remédios de forma que nem da tempo de reagir, ou de sentir o gosto, e ainda para pedir desculpa por esse ato chato, fica com a gente no colo fazendo carinho como se quisesse que a gente acreditasse que ela não acha legal...
Ok...justiça seja feita, a gente - Pandora, Jorge e eu - estamos belos e formosos porque minha mãe enfia os remédios goela abaixo com muito carinho, mas que é chato, isso é.
A farmácia básica de quem quer adotar um gatinho é muito simples. Não pode faltar um antitóxico, vermífugos, cicatrizantes, cotonetes, gaze e seringas.
Para os pais de primeira viagem é legal se informar sobre como e quando usar cada coisa, porque ninguém quer medicar um gato sem saber porque né? Mas, se seu gato estava normal o dia todo e depois de brincar com uma planta lá que você tinha em casa, ou um inseto invasor, ele ficou meio estranho... cuidado. Ele pode precisar de um antitóxico urgente.
Então essa é mais uma informação importante pra você que pretende ter ou já tem um amigo aí na sua casa.
Não descuide dele...
ATENÇÃO: Todo medicamento deve ser mantido fora do alcance de seus amigos!!!! Nós ainda não sabemos as horas e a dosagem correta para ajudar você nessa função!!!
Miau

Não procure sarna pra se coçar!!!!

Eu já disse que é preciso tomar cuidados ao receber um novo membro na família, né? Então aqui vai mais uma dica.
Yogi é um gatinho - esse aí da foto - que foi resgatado de um pet horrível que fica próximo à minha casa. Ele devia ter uns 45 dias quando chegou em aqui. Era extremamente carinhoso e é até hoje...mais mimado que ele, só eu...
Quando ele chegou, logo notamos que havia umas coisinhas estranhas pelo seu corpinho, levamos ao nosso pet de confiança, mas sem a avaliação necessária de um veterinário, nos enganamos quanto ao tratamento.
No inicio pensamos ser apenas
alergia,
como disse,
nos enganamos.
O fato do Yogi ter vindo muito fraquinho pra cá contribuiu para que essa "alergia" logo se espalhasse para todo o corpinho dele, passando em seguida para o nosso. Claro que ha essas horas já sabíamos o que era: Sarna.
A alimentação balanceada foi a primeira etapa para fortificar o organismo que receberia vários medicamentos para combater aquilo que parecia não morrer nunca. Banho e mais banhos foram necessários e depois de várias aplicações de cremes, pomadas, sprays etc, todos nós ficamos lindos, mais do que nunca.
Dá pra entender porque um veterinário é tão importante??? Se ao invés de termos ido ao pet, fóssemos ao veterinário, saberíamos desde o princípio que não poderíamos ficar perto do Yogi até que ele estivesse bem.
Todo mundo sabe que a sarna é altamente contagiosa e que além dos bichinhos ela pode passar pra vocês humanos também.
Então, ao menos sinal de coceira, coisinhas na pele que parecem caspas, queda de pêlo, crostas avermelhadas etc, procure seu médico veterinário. Seu amigo vai agradecer muito.
E se você tiver mais que um bichinho, CUIDADO. Certifique-se se a sarna já não foi transmitida e em caso negativo, isole o saudável. Parece meio triste mas é a maneira mais eficaz de mantê-lo saudável enquanto o dodói se recupera.
Mantenha-se organizado com a quantidade e período dos banhos e medicamentos, e se notar qualquer sinal de rejeição avise seu médico.
Depois, é só se divertir com a alegria garantida...
Miau

Seja bem vindo!!!



Ao adquirir um gatinho - ou qualquer animalzinho - você deve tomar alguns cuidados para que ele tenha uma vida longa, saudável e feliz.
O primeiro cuidado começa ainda no local de onde você retirará o novo membro da família. A maioria das pessoas busca filhotes em pet onde estão à venda ou para doação. Estes lugares têm que ser bem avaliados antes que você leve para casa seu novo amigo. Um pet sujo, escuro e onde os animais estejam misturados: gatos e cachorros, sadios com doentes, pode te dar mais problemas que satisfação. Para quem não sabe esses lugares podem ser denunciados.
Depois de verificar as condições do antigo lar de seu amigo, verifique como ele está, se tem alguma manchinha estranha na pele, pulgas ou remelas nos olhinhos.
Algumas vezes as manchinas na pele pode não ser nada, mas pode também ser sarna, as pulgas - principlamente se o piso de sua casa for de madeira - podem se tornar um desastre na vida do seu amigo e na sua também...vai por mim, pulga é triste!!!!
E atenção às remelas...a maioria dos donos de pet diz descaradamente que não é nada, mas pode ser uma infecção grave e se você não cuidar a tempo e corretamente, seu bichinho pode sofrer pra sempre!!!
Depois disso o cuidado passa a ser por sua conta! Uma casa limpa, porque bicho nenhum gosta de sujeira, é essencial. Se você pretende criar seu gato dentro de casa, coloque telas nas janelas e cuide para que as portas estejam sempre fechadas, ao mesmo tempo lembre-se que a área de lazer dele será reduzida à sua casa, então deixe à disposição bolinhas, bichinhos de pelúcia, e se puder brinquedos próprios para afiar as garras...pois como você já deve saber, nós os felinos adoramos afiar as unhas, e seu móvel preferido pode ser a nossa próxima vítima.
Como somos eternas crianças e precisamos pra sempre de seu cuidado e atenção, não aceite cuidar de um de nós - de qualquer raça, espécie, tamanho etc - se não puder nos garantir os cuidados básicos: casa, comida, saúde e carinho.
Atenção: quando o gatinho chegar em casa ele sentirá medo, e é possível que passe um tempo escondido até que sinta que o ambiente é seguro.
Mostre a ele onde fica a comida, a água e a areia sanitária.
Já disse somos como crianças, e é bom nos ensinar logo onde e como as coisas funcionam hahahahaha.
Tenha em mãos o número do veterinário de sua confiança - espero que você tenha analisado isso antes - e trate de vacinar seu bichinho.
Dica útil: gatos acostumados desde cedo com o banho, não ficam nervosos e nem estressados nessa hora (não sei porque dou esse aviso...). Tenha cuidado entre um banho e outro para a pele e os pêlos secarem bem.
Por fim dê todo amor e atenção que puder, pois aviso desde já, amamos quem cuida de nós, mas somos muito exigentes também!!!
Boa sorte.
Miau

Cuide bem dos bichinhos



Olá caros amigos!!

Para dar início ao blog eu gostaria da mandar uma mensagem a todas as pessoas do mundo: por favor cuidem dos animais.

A maioria das pessoas pensam que isso só serve para quem tem animais em casa, mas não é verdade. As pessoas que não gostam de animais não precisam tê-los, mas não há nisso uma obrigatoriedade em maltratá-los. Um animalzinho que vive na rua certamente vive assustado e é muito mais legal dizer "xô" ou bater o pé no chão que jogar qualquer coisa que seja nele.

Eu tenho a sorte de ter uma casa e pessoas que me amam e cuidam de mim, mas penso sempre naqueles que não tiveram essa oportunidade nesta existência.

Vale lembrar aos desavisados que maltratar animais seja ele doméstico, domesticado ou de rua é CRIME, e tem que ser punido.

É uma vida que tem que ser respeitada.

Pense nisso! Não faça à nenhuma vida o que não deseja que façam com a sua!!!!!

Miau